segunda-feira, 7 de setembro de 2009

constantemente

Formas e clarões de histórias do passado
Explodindo no mundo esmiuçado
E nuances de cores belas a brilhar
Ouso e vejo tudo inerte a sonhar...

Saber não é existir na vida
Sei tudo,mais tudo é sem saída
Vai desmanchando até virá pó
Caindo,caindo e tu vivendo só

Corre a correnteza e ignora
Logo o outro dia voltará
E tudo estará lindo na natureza
E você a parte com sua tristeza!

Só sei falar dos meus lamentos
Por que será que não consigo parar?
Consciente estou dos meus sofrimentos
Calada não posso ficar, é como chorar!

4 comentários:

josiane disse...

Aê,menina!!Belas criações!!!Parabéns Alessandra.Você escreve muito bem....

Alessandra Zelinda Bessa disse...

Que bom ouvir isso!Obrigada querida.

Alessandra Zelinda Bessa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Alessandra Zelinda Bessa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.