segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

EPIFANIA


Percorro o espaço
Descubro estrelas
Piso em folhas secas
Admiro um girassol
O sorriso dos gatos
O vento toca meu rosto
Como um beijo suave
e reparo a imensidão do céu azul
Que me criou
Em um só instante
Diante do infinito universo
Sou eu apenas um feixe de luz
Que vaga em labaredas
Pelos cantos a brilhar
E fico a imaginar...
Faíscas
Voam e voam
Fazendo clarões
momentaneamente
Como espelhos espelhados
Emitindo
“trim,trim,trim...”
Alados

Um comentário:

O POETA DE MEIA-TIGELA disse...

Alê, poeta-da-gema,
Sensibilidade-Imensa:
Parabéns pela presença
No livro PROSAPOEMAS!

p.s: grato pela dedicatória...