terça-feira, 20 de outubro de 2009

Lembranças do espírito.

Na infância,
A Alma brilha e brilha ;é lúcida!
consegue enxergar com astúcia

Na infância,
Não Nos sujamos
Com a hipocrisia
A maldade
Falsidade
Falta de amor e paz
Somos livres para sermos capaz


Lembras de como eras
Lembras,por que este é teu Eu verdadeiro
O mundo faz a Alma virá um celeiro.

Um comentário:

Kim Sousa disse...

Amei o seu poema...infância é algo que me machuca ainda pq creio que eu não vivi ela o suficiênte...

Desculpa não ter comentado ou lido o seu blog antes...

Beijão...até mais...